1º Ciclo de Seminários Regionais | 2016 - Apresentações disponíveis

1º Ciclo de Seminários Regionais | 2016

Decorreu até dia 7 de dezembro de 2016, no âmbito do processo de alteração do Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território (PNPOT), um conjunto de seminários promovidos pelas Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), com o objetivo de estabelecer as bases para um diálogo alargado, que se deseja continuado e profícuo, fomentando a reflexão em torno de problemas e desafios críticos para o novo Programa de Ação, enquanto quadro de referência a considerar no desenvolvimento e gestão do território e nas políticas de investimento público.

Esta iniciativa dirigiu-se a toda a população interessada e, em particular, à administração pública local, intermunicipal, regional e nacional, comunidade académica e científica, sociedade civil, setor privado e demais partes empenhadas nas políticas e processos de desenvolvimento do território em Portugal.

Data Promotor Local Tema
7 DEZ CCDR Norte Porto

Território e Alterações Climáticas
Programa | Apresentações | Caderno do Seminário

30 NOV CCDR Algarve Faro  Território e Turismo
Programa | Apresentações | Caderno do Seminário
23 NOV CCDR Centro Coimbra  Território e Sistema Urbano
Programa | Apresentações | Caderno do Seminário
16 NOV CCDR Alentejo Évora  Território e Paisagem
Programa | Apresentações | Caderno do Seminário
27 OUT CCDR Lisboa e Vale do Tejo Lisboa  Território e Economia Circular
Programa | ApresentaçõesRegisto vídeo | Caderno do Seminário

Participação

A revisão do PNPOT foi precedida de um amplo processo de participação e debate que este portal continuará a promover na atual fase de implementação do Programa Nacional de Ordenamento do Território, contando com a participação de entidades representativas dos setores e dos territórios e, igualmente da sociedade civil.

O território tem de estar no centro das políticas públicas. Não podemos continuar a produzir políticas sectoriais como se ele fosse uma pátria onde acontecem fenómenos, mas sim perceber o território como um agente de transformação, do qual temos de saber tirar o máximo partido, e ao qual temos de saber impor limites.

João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e Ação Climática
X