Território e Prospetiva | Apresentações disponíveis

Territorio e Prospetiva

No âmbito do processo de alteração do PNPOT, a Direção-Geral do Território, DGT, organizou o Seminário ´Território e Prospetiva', realizado no dia 5 de abril, no Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, colocando a debate temas que se oferecem como determinantes nas próximas décadas: a demografia, a economia, as alterações climáticas e o recurso água, e fazendo ainda uma reflexão abrangente sobre o passado e a construção do futuro do desenvolvimento territorial e sobre o papel do PNPOT nessa construção.

Este encontro contou com a presença de S.E. o Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos.

Programa

Manhã

09h30-10h00 – Sessão de Abertura | Fundação Calouste Gulbenkian | Direção-Geral do Território | Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza

10h50-10h50 – Tendências Demográficas, Sociedade e Território | Maria da Graça Magalhães | Eduardo Castro

11h00-11h50 - Os Desafios Territoriais para a Economia | José Manuel Félix Ribeiro | Francisco Cordovil

12h00-12h30 -  Debate

Almoço

Tarde

14h00-14h50 – Alterações Climáticas, Cidades e Território | Filipe Duarte Santos | Ana Monteiro

15h00-15h50 – A Água, um Recurso Escasso | Rodrigo Maia | Sérgio Hora Lopes

16h00-16h30 -  Debate

17h00-18h20 - Refletir o Passado e Construir o Futuro | Valente de Oliveira | João Cravinho | Jorge Gaspar | João Ferrão

Coffee break

18h30 – Encerramento | Ministro do Ambiente

Implementação

A execução do PNPOT 2020 passa pela adesão das políticas públicas com expressão territorial aos 10 compromissos assumidos pelo Programa de Ação, pela implementação das suas 50 medidas e pela correspondente operacionalização do Modelo Territorial, dinamizados por uma forte Governança Territorial.

O enquadramento estratégico e operacional do PNPOT confere-lhe um papel fundamental como referencial territorial para o Programa de Valorização do Interior, a Estratégia Nacional de Referência para a Política de Coesão pós 2020 e para o Programa Nacional de Investimentos 2030. Esta articulação será concretizada a nível político nas sedes próprias e ao nível técnico no âmbito dos trabalhos do Fórum Intersetorial.

O território tem de estar no centro das políticas públicas. Não podemos continuar a produzir políticas sectoriais como se ele fosse uma pátria onde acontecem fenómenos, mas sim perceber o território como um agente de transformação, do qual temos de saber tirar o máximo partido, e ao qual temos de saber impor limites.

João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e Ação Climática
X